Posts Tagged ‘Heavy Metal’

Natalia Nissen@_natalices

A banda frederiquense de heavy metal, Datavenia, fará a apresentação de abertura do show do Angra em Porto Alegre. O evento faz parte da turnê que tem participação especial de Fabio Lione e será realizado no dia 1º de agosto no Opinião. O show comemora os 20 anos do lançamento do primeiro álbum do Angra.

Formada em 2007, a Datavenia já participou de festivais em Frederico Westphalen e fez shows em Cruz Alta, Carazinho, Panambi e Chapecó. Figura carimbada aqui no The Backstage, a banda sobe ao palco do Opinião às 21 horas para tocar os clássicos do repertório já conhecido por quem acompanha os músicos.

 Image

Quando
1º de agosto, quinta-feira.

Horários
20 horas: abertura da casa
21 horas: Datavenia
22 horas: Angra

Ingressos
1º Lote: R$ 65
2º Lote: R$ 75
3º Lote: R$ 85
4º Lote: R$ 95

HotPass
R$20
* os compradores do HotPass têm direito a entrar 30 minutos antes dos portões se abrirem para os demais clientes.
* a compra do HotPass só dá acesso ao show mediante à compra do ingresso.

Pontos De Venda

Online
www.ticketbrasil.com.br
www.opiniaoingressos.com.br

Lojas
Multisom – Shopping Iguatemi, Praia de Belas, Barrashoppingsul, Moinhos, Total, Bourbon Ipiranga, Bourbon Wallig e Andradas 1001
Multisom Grande Porto Alegre – Shopping Canoas, Bourbon Novo Hamburgo e Bourbon São Leopoldo
A Place – Voluntários da Pátria, 294 – loja 150 -, fone: (51) 3213-8150
Zeppelin – Marechal Floriano, 185 – loja 209 da Galeria Luza -, fone: (51) 3224.0668
Short Fuse – Shopping Total – 2º andar, fone: (51) 30187-552

Natalia Nissen@_natiiiii

Um movimento online pretende recolher mais de 1 milhão de assinaturas para instaurar o Dia do Heavy Metal Nacional (13 de novembro). Qualquer brasileiro que possui título de eleitor pode assinar a petição e, também, transformar-se em representante do Metal Prol Brasil e recolher assinaturas na região onde vive. Para assinar e saber mais sobre o movimento acesse o site oficial.

Tiago Bianchi, vocalista da banda Shaman, idealizou o projeto para oficializar o Dia do Heavy Metal Nacional. O dia 13 de novembro foi escolhido pois nessa mesma data, no ano de 1982, foi lançado o primeiro disco brasileiro de Heavy Metal pela banda Stress, de Belém.

Foi pensando na ideia de divulgar a data e reunir os simpatizantes do estilo musical que criaram o evento “Metal Brasil – O Heavy Metal Brasileiro já está unido. E você?”. A primeira edição acontece no próximo dia 06 de novembro, em São Paulo, no Carioca Club e pretende unir e apoiar a cena do Heavy Metal a fim de instituir uma data para valorizar a música no país. O 1º Metal Brasil já tem entre as atrações confirmadas as bandas: Shaman, Almah, Hangar, Wizards e Hibria. Ingressos para o evento já estão a venda no site Ticket Brasil.

Natalia Nissen@_natiiiii

A banda prometeu e cumpriu, “talvez não seja o melhor show de heavy metal que você já viu, mas da Datavenia foi o melhor” disse Guilherme Argenta, o baixista e backing vocal da banda. O público lotou o Opus 10 Hall Pub na noite do último sábado, 14, e, literalmente, bateu cabeça até doer o pescoço.

Gui Busatto fazendo pose durante o show (Foto: Josefina Toniolo)

Como já tinha falado aqui, o show foi planejado minunciosamente. Algumas horas antes da apresentação a banda se reuniu para definir alguns detalhes e lembrar pontos importantes das funções de cada um dos integrantes. Em uma conversa quase que despretensiosa a Datavenia acertou as últimas questões antes de fazer um espetáculo muito aguardado pelo público e pela própria banda.

Uma introdução com a música “Oculus Ex Inferni” da banda norte-americana Symphony X alertou a plateia, o show já ia começar. A Datavenia subiu ao palco e iniciou a apresentação com a música “Afterlife” da Avenged Sevenfold. Então seguiram os clássicos do heavy metal, num repertório de 18 músicas, passando por Metallica, Pantera, A7X, Megadeth, Black Label Society, Ozzy Osbourne, Motörhead, Sepultura e Dr. Sin. Na metade do show a banda tocou o single Devil’s Game, e apesar de ser o lançamento da música, muita gente já conhece e cantou junto.

Thainá M. Silva, 15 anos, acha que o show foi muito bom e, ainda, superou as expectativas, principalmente o single e o fato do repertório ser bastante diferenciado da maioria das bandas da região.

A aprovação do público foi evidente, alguns se arriscaram em roda punk, outros bateram cabelo até não poder mais. Havia os mais contidos e outros interagindo durante toda a apresentação. Um sortudo ainda foi contemplado com o cd do single e uma caixa de chocolate (quando a banda foi divulgar o show no programa Na Mira do Rock na Rádio Comunitária o apresentador Fuga fez uma brincadeira e disse para sortearem o tal chocolate).

Até os fãs de música mais pesada gostaram das baladas do repertório, Lucas Cottica Silveira, 18 anos, afirma que nem é entusiasta da Avenged Sevenfold, mas gostou da versão elétrica de “Seize The Day” e “Symphony of Destruction” do Megadeth foi perfeitamente executada. “Eu achei a coisa toda insana; é muito legal ver ao vivo a música Devil’s Game, cheia de riffs doidões, em meio a tanto Thrash/Speed Metal, com Motörhead, Metallica, Pantera e tudo mais. Pra mim, foi a melhor apresentação deles até hoje”, complementa Lucas.

Datavenia fez um show para superar as expectativas do público (Foto: Bruna Molena)

O bis ficou por conta da música “Paranoid” do Black Sabbath, e assim os integrantes da banda ainda fizeram uma brincadeira e mostraram que entendem mesmo de música. O Gui Busatto ficou na bateria, o Gabriel no baixo, nas guitarras Eduardo e Gui Argenta, este também no vocal. Minha colega de “profissão”, Bruna Molena, observou “eles trocam de funções e a qualidade continua, isso é para quem sabe”.

O baterista Eduardo Pegoraro declarou  que o show foi ótimo, “toda a empolgação do público é incentivo para termos a certeza de que estamos no caminho certo e continuarmos fazendo muito heavy metal”. Além disso, a banda está em uma fase de mudanças para melhorar as apresentações, terminar e divulgar as composições próprias.

Natalia Nissen@_natiiiii

Sete minutos e cinquenta e nove segundos de pura maldade, assim podemos definir a “Devil’s Game”. Depois da apresentação na seletiva do “Na Mira do Rock” em Frederico Westphalen no mês passado, a banda Datavenia entrou em estúdio e gravou a composição própria. “Devil’s Game” já está disponível para audição e download gratuito na página do MySpace.

Deixando a brincadeira de lado, o perfeccionismo dos integrantes é a ferramenta para garantir um resultado apurado da música. E a satisfação fica evidente na declaração do baixista Guilherme Argenta:

Ficamos felizes com o resultado, principalmente da gravação em estúdio. Nos orgulhamos de fazer uma música pesada, agressiva e trabalhada;  o legítimo heavy metal pra ouvir no volume máximo. E não podemos deixar de agradecer o pessoal do “Conexão Studios” pelo suporte e dedicação.

 

Datavenia no MySpace

Para ouvir e fazer download clique Devils Game – Datavenia.

Natalia Nissen@_natiiiii

Eduardo Pegoraro (bateria), Guilherme Busatto (guitarra e vocal), Guilherme Argenta (baixo) e Gabriel Quatrin (guitarra) começaram a tocar juntos em março de 2007. Era o começo da banda Pandemônio, mas o nome não soava bem aos ouvidos de alguns, afinal, eles tocam heavy metal e Pandemônio acabava ficando mais agressivo do que deveria. Foi então, que sem muitos percalços, decidiram mudar para Datavenia.

Datavenia no Opus 10 Hall Pub (Foto: arquivo da banda)

O Gabriel mora em Santa Maria, mas vem a Frederico Westphalen a cada 15 dias e assim o grupo consegue manter um ritmo de ensaios. Mas enquanto um integrante está fora os outros continuam trabalhando no repertório. Com muita dedicação eles evoluem a aprimoram suas técnicas.

O set list é escolhido de acordo com os gostos da própria banda, mas também, depende do público, do local e do tempo de show. Eles valorizam as músicas que não são tocadas por outras bandas do mesmo gênero, mas que as pessoas conhecem e vão cantar junto nas apresentações, como “Cowboys from hell” (Pantera) e “Futebol, mulher e rock’n’roll”(Dr.Sin).

Se tirar um da banda, já foi 50% da Datavenia. Todos são importantes.

Guilherme Busatto

Desde que começaram já tocaram, além de Frederico, em Carazinho, Constantina e Panambi. E cada show tem uma história para ser lembrada, um detalhe engraçado ou um momento de tensão. Em Panambi tocaram em cima de uma carroça, mas lembram que o pessoal estava animado e curtiu o show. Já para tocar em Constantina, o Gui Argenta perdeu o próprio baile de formatura. Entre um relato e outro podemos descobrir muitas histórias da Datavenia.

Os ensaios acontecem no “boeiro”, o nome vem das condições em que o local se encontrava quando a banda se apropriou e resolveu transformá-lo em estúdio. Apesar das músicas “cheias de maldade” eles estão sempre de bom-humor e as eventuais discussões são resolvidas da melhor maneira possível.

A Datavenia se prepara para apresentar sua nova composição, a “Devil’s Game”, no próximo dia 08 de janeiro. A banda vai tocar na seletiva do Na Mira do Rock – festival de rock e heavy metal que acontece anualmente – em Frederico Westphalen, na mesma noite em que outros três grupos se apresentarão.

Para quem quiser conhecer mais da Datavenia, acessa o MySpace.