Archive for the ‘Indie’ Category

Acaba de entrar nas principais plataformas mundiais para download e streaming, como iTunes e Spotify, o novo EP do Fire Department ClubHuman Nature.

epO terceiro EP do quarteto de Porto Alegre conserva a energia frenética de seu indie rock já característico, agora, adicionando refrões e sintetizadores ainda mais poderosos. Human Nature é o resultado de meses de trabalho, com a banda imersa em um mundo de referências oitentistas catapultadas por sua evolução musical e a experiência em festivais na América do Norte. As quatro faixas são complexas e diferentes entre si, mas surpreendem pelo tom “pop”. O vocalista André Ache afirma: “São canções fortes, cheias de nuances e elementos ocultos mas que você pode sair cantando junto na primeira ouvida!”.

Com instrumentais gravados no Estúdio Soma em Porto Alegre, e vocais no TDS Studio de Los Angeles, Human Nature tem a assinatura do produtor musical Luc Silveira. A Mixagem, também feita no TDS Studio, é de Tiago D’Errico, e masterização de Dave Locke (Smashing Pumpkins). Entre os colaboradores do projeto estão o artista plástico Patrick Rigon, responsável pela capa de Human Nature, além da escritora e liricista Gisele Firmino, que mais uma vez contribui nas letras da banda.

Clique aqui e escolha onde quer ouvir o novo EP da banda.

Anúncios

Carol G. Nunes@carolgnunes

Foi em 2002, no Colégio Ipiranga, em Três Passos, que eu conheci Meinel e Guilherme. Os guris sempre foram envolvidos com música, com banda, mas perdemos o contato assim que eles se formaram. Só fui reencontrar o Gui em 2012, em um show do Agridoce, no Opinião, ocasião em que ele me entregou um EP (intitulado Colourise) da sua banda para eu dar pra Pitty. Eu esqueci de dar o EP pra ela, e acabei ficando com ele pra mim.

E foi mais ou menos assim que eu conheci o Fire Department Club: com um EP que nem era pra mim. Mas isso foi suficiente pra eu começar a acompanhar a batalha dos guris na cena independente de Porto Alegre. Adorei a banda e, desde então, consumo tudo o que eles produzem.

f651e4e0-d658-4852-b558-6015a88cf6a3

Foto: Flávio Costa (divulgação)

2015 começou agitado e tem se mantido assim: a banda iniciou o ano dividindo o palco com The Kooks e Kasabian, lançou o bem recebido EP “Best Intuition” e assinou com selo californiano Sonovibe Records.  Demais, né?

Na metade desse mês, soube que finalmente a banda embarca rumo às terras norte-americanas para uma turnê de 20 dias. O FDC é atração confirmada no CMJ Music Marathon, em Nova York. O festival, um dos mais importantes eventos de música dos Estados Unidos, é conhecido por revelar artistas importantes (antes do mainstream) como Arcade Fire, Mark Ronson, Justice, MGMT, Vampire Weekend, Kendrick Lamar, Mac DeMarco e tantos outros. A estreia da banda em palcos gringos será no dia 14 de outubro, no Leftfield Bar.

Além dos shows em NYC, o FDC fará apresentações em Los Angeles, onde também finalizará as gravações de seu novo disco, com lançamento previsto para 2016.

Que a turnê seja demais e que eles voltem cheios de novidades para todos que acompanham a banda.

Na fanpage da banda você fica por dentro de todas as novidades.

Carol Govari Nunes@carolgnunes

10387964_1425317871073391_624293215_n

Registro fotográfico da noite (Foto: #euzinha)

“Pegue o seu sorriso e enfia no cu / Eu quero ver você sorrir com o cu cheio de dentes”. Acordei cantando esse trecho fofo da balada mais amor que eu ouvi nas últimas 24 horas. Na real, meu cérebro tava uma mistura de “Brindemos / Fa-fa-fa-fa” e “Adelaide nãoseioque”, que já esqueci porque não escrevi assim que acordei. Deve ter um dedo do negrinho (não, vocês também não falam “brigadeiro”) de Jack Daniel’s que entrou no cardápio do Gisarole Pub na noite de ontem, mas deixemos isso para o meu livro de críticas culinárias.

Pois bem. Localizado no bairro Santana e atendendo o público há 44 anos, o Girasole Pub está com uma noite +QD+ encabeçada por ninguém menos que o vocalista da Bidê ou Balde. Quem pensa que a Bidê tem as letras mais nonsense do cenário gaúcho é porque nunca viu o alter ego de Carlinhos em ação. Intitulado “Bife Simples” e improvisando com tudo e todos que estiverem ao redor, tivemos uma noite regada a clássicos jamais ouvidos e improvisos esdrúxulos e alucinatórios, os quais fizeram a alegria da juventude presente no pub.

Com uma musicalidade incompreendida por muitas pessoas da raça humana que habitam este universo, Carlinhos recebe toda quinta-feira vários amigos no minipalco do Girasole para noitadas musicais completamente descompromissadas. Quem também faz parte das Quintas do Gira são seus companheiros da Império da Lã (Chico Bretanha e Jojô Lalá), outra banda sem repertório nem formação fixa. Auto-intitulada como “uma junção de artistas para farrear e trabalhar, que se recusa a adotar a reforma ortográfica da língua portuguesa por pura simpatia com a trema”, a Império da Lã é uma banda-instalação-readymade anti-totalitarista, pró-álcool-festa-e-libertinagem. Entendam como conseguirem.

Entendam como conseguirem, também, o processo de composição do artista em questão. Ou melhor, não entendam: apareçam nas Quintas do Gira para ter uma noção do brilhantismo-bizarro-experimental com um quê de lo-fi psicodélico que sai do cérebro do Carlinhos naquelas horas únicas de musicalidade duvidosa, mas com muito coração.

O problema do segredo é que ninguém decorou o segredo do segredo inteiro (CARNEIRO, C., 2014).

Natalia Nissen@_natiiiii

Na noite desta sexta-feira, 27, a Antonieta fez a tão aguardada reestreia no palco do Les Paul Rock Pub. Casa lotada de um jeito que eu ainda não tinha visto desde a inauguração e a banda com um repertório caprichado. O clima ainda contribuiu bastante e não espantou a galera que quis aproveitar a noite de música. Faltou interação com o público, mas isso vem com o tempo e experiência. Tinha visto a Antonieta tocar uma ou duas vezes, isso lá em 2010, e o tempo só fez bem, amadureceu, escolheu boas músicas e agora está muito melhor.

Nova formação da Antonieta fez bonito no palco do Les Paul (Foto: Natalia Nissen)

O que mais chamou atenção foi o repertório, souberam valorizar o vocal feminino e escolheram músicas diferentes que dificilmente outras bandas tocam por aqui, Antonieta tem uma pegada meio Copacabana Club. Nunca pensei em ouvir Katy Perry e Lady Gaga num pub de rock and roll, mas nem só de pop a noite foi feita, também rolou The Beatles, The Doors, Nirvana, Amy Winehouse e até The Pretty Reckless (Make Me Wanna Die foi a que mais me surpreendeu e curti pra caramba). A proposta da Antonieta é fazer uma música mais dançante e conseguiu fugir do padrão sem perder a classe.

Ontem à tarde a banda participou de uma coletiva de imprensa na Vitrola e disponibilizou o novo single “23:59”. A ideia é conquistar o mercado de música europeu e a música foi feita visando esse objetivo, agora é esperar e ver o resultado. A produção de “23:59” é de Adriano Cintra (ex-Cansei de Ser Sexy).

O single “23:59” está disponível aqui.

The Dø é calmaria e boa música

Posted: 05/04/2011 in Indie, Pop
Etiquetas:, , ,

Natalia Nissen@_natiiiii

The Dø é uma dupla franco-finlandesa, formada por Olivia Bouyssou Merilahti e Dan Levy, que faz um som com misturas de pop, folk e até música eletrônica. O primeiro álbum do duo foi lançado em 2008, e em março saiu o “Both Ways Open Jaws”. O novo disco tem 13 canções, todas elas com a voz doce e marcante de Olivia; em certos momentos essa voz soa como Björk, ou Mallu Magalhães – centenas de vezes melhorada.

O casal The Dø (Foto: divulgação)

Algumas faixas do disco são mais enérgicas, porém, mesmo assim, têm um poder calmante indescritível. Dan Levy é multi-instrumentista e garante uma composição muito interessante de instrumentos a cada canção, percussão, saxofone, violino, e até mesmo o corpo como forma de expressão musical por meio das palmas, como na música “Bohemian Dances”. Vale a pena parar e ouvir atentamente ao álbum inteiro. As músicas são únicas, no entanto, o conjunto é agradável aos ouvidos sem ser uma mistura de instrumentos jogados de qualquer jeito dentro de um composto, o disco deixa evidente a sintonia entre o casal.

“The Calendar” tem uma melodia quase infantil, se é que me entendem. Bem estilo trilha sonora de  desenho animado. Já “B.W.O.J” tem um minuto e quarenta segundos de duração, começa como se estivesse arrastando o som e depois agita uma dancinha folk, até terminar vagarosamente com uns sons excêntricos. O álbum é de ouvir em dias de chuva, pura melancolia, mas vale para curtir também sem depressão porque as letras são até românticas (romantismo sem sofrimento). As harmonias vão “crescendo”, músicas calmas que não assustam os desprevenidos.

The Dø exige disposição dos ouvintes para interpretar os diferentes sons, mas recompensa a atenção com músicas trabalhadas e envolventes. Para quem ficar interessado em saber mais, eu indico assistir aos vídeos da dupla. Os videoclipes não são tão clichês e têm umas imagens bem diferentes. “Slippery Slope”, “To Insistent“, e “Stay” que não está no último álbum, mas o clipe é muito legal.

Débora Giese@dee_boraa

Foi divulgada na internet nesta terça-feira, 1º de março, a versão completa de “You’re so right”, faixa 4 do novo álbum da banda americana The Strokes. Esse, intitulado “Angles”, tem estreia prevista para o dia 21 desse mês.

Com aproximadamente 2’35’’ de duração, a música é um pouco mais dark que as outras do álbum, segundo Julian Casablancas. “’You’re so right’ contesta a felicidade das outras faixas. Eu gosto de coisas dark”, disse o vocalista à NME.

Em fevereiro a banda havia disponibilizado para download em seu site oficial “Under cover of Darkness”, single de “Angles”.

“Angles”

Capa do novo álbum "Angles" (Foto: divulgação)

“Depois de um longo e necessário período de hibernação em que vimos muitos outros projetos musicais surgirem, estamos satisfeitos em anunciar que o The Strokes voltou a todo vapor em sua área, em Nova York” assim foi anunciado no Myspace que o 4º álbum da banda estava por vir.

O nome, angles, é explicado pelo guitarrista Albert Hammond Jr com a frase: “É assim que o álbum soa. Nasce de cinco pessoas diferentes”. Julian Casablancas afirma que o novo álbum será similar ao “First Impressions of Earth” (2006), porém com mais toques de funk.

Há 5 anos os Strokes não lançam um álbum inédito. O dia 21 de março será a data que findará a espera dos fãs. “Finalmente estão de volta. E em melhor estilo, aguardem” comentou a estudante Fernanda Maurer em uma rede social. A RCA Records é a gravadora responsável pelo lançamento do novo trabalho da banda nos EUA. Esse terá 10 faixas.

 

UPDATE:

Hoje, 17 de março, foi divulgado o álbum no site oficial da banda. Você pode ouvir as 10 faixas clicando aqui.