“Quando calou-se a multidão”: o disco solo de Guri Assis Brasil

Posted: 09/06/2013 in Entrevista, Rock
Etiquetas:, , ,

Carol Govari Nunes@carolgnunes

Alçando voos solos, o guitarrista da banda Pública, Guri Assis Brasil, lançou recentemente o projeto de seu CD “Quando calou-se a multidão” no Catarse. O esquema do Catarse a gente já conhece: é o crowdfunding, o fundo colaborativo que, por meio de recursos e contatos, viabiliza a realização de uma iniciativa, como viabilizou a realização do segundo CD dos Sabonetes.

O disco foi composto e gravado no início de 2012 e todas as composições são assinadas por Guri. Algumas faixas têm participações especiais de Guizado, Juninho, Eduardo Praça (Quarto Negro), e uma das letras é de Carlinhos Carneiro, da Bidê ou Balde. Por e-mail, o músico que diz ter demorado 26 anos pra compor uma música de cabo a rabo (letra, harmonia e melodia), comentou sobre o projeto, o início na carreira musical, “Todos meus amigos vão me ouvir cantar” (bonita música que tem rolado para mostrar o que vem no disco) e muito mais.

The Backstage: Como foi teu início na carreira musical?

Guri: Comecei em Sant’ana do Livramento, cidade do interior do Rio grande do Sul que faz fronteira com o Uruguai. Meus pais sempre escutaram muita música. Eu costumava dormir com algum disco na vitrola ou com um dos dois cantando, meu pai acompanhado de um violão. Com uns 10 anos comecei em uma banda do colégio e depois toquei pela noite da fronteira. Com 16 me mudei para Porto Alegre, onde logo conheci o pessoal da Pública. Assim entrei de cabeça e decidi que era aquilo que gostaria de fazer para o resto da vida. A Pública conseguiu um bom reconhecimento no Sul e decidimos que seria melhor para nossa carreira a mudança para São Paulo. Já faz três ano que moro na Babilônia.

tumblr_mnx3mc3Inp1r9ykrko1_500

“Sempre gostei de cantar e achei que era uma boa hora tentar escrever e me expor de certo modo”, comenta o músico (Foto: divulgação)

TB: Na Pública, tu é responsável pela guitarra. Tu já compunha músicas paralelo a banda?

G: Eu demorei 26 anos para fazer uma música de cabo a rabo. Letra, harmonia e melodia. Na Pública eu tinha algumas parcerias com o Pedro, mas as letras sempre eram dele. Portanto, esse material que eu vou soltar ao mundo é muito, muito novo.

TB: Em “Todos meus amigos vão me ouvir cantar” tu se distancia da função única de guitarrista e se aventura pelos vocais e demais cordas. O arranjo é extremamente agradável, me encantei de primeira. O baixo tem um groovezão massa e o refrão explode com os metais. Quando tu compôs ela?

G: Fiz ela quando ainda morava na Vila Madalena, hoje vivo na Vila Mariana. Era uma época que eu estava com uma insonia terrível, dormia sempre que o sol raiava. Eu costumava dormir com uma guitarra ao lado. Assim sempre que o sono demorava a vir eu pegava a guitarra para tocar ou compor alguma coisa. Talvez por eu ser guitarrista, as primeiras músicas sempre surgiam através de um riff. Essa foi através do groove do baixo. Fiquei tocando e logo veio a melodia. Depois foi rápido.

TB: Tu assina sozinho todas as composições do disco, ou tem mais alguém contigo?

G: Tem uma música que fiz junto com o Guizado, músico paulistano. Outra em parceria com o Eduardo Praça que é da banda Quarto Negro, que também me ajudou em outra letra. Uma com o Juninho, que é quem assinou a produção do disco comigo. E tem uma letra que é do Carlinhos da bidê ou balde.

TB: Como surgiu a ideia de lançar um disco solo?

G: A Pública deu uma parada. Eu estava tocando com uma pá de artistas de todos os cantos do país em São Paulo. E só isso não me deixava satisfeito. Sempre gostei de cantar e achei que era uma boa hora tentar escrever e me expor de certo modo. Acho que funcionou.

TB: O Catarse tem dado bons resultados desde o seu surgimento. Tu pensou imediatamente em financiar o projeto por lá ou chegou a cogitar um lançamento só virtual (ou, ainda, lançar através de um selo independente)?

G: Eu pensei em todas as possibilidades. Cheguei a mandar para algum selo, mas quase nada. Somente virtual nunca foi a minha ideia. Um disco sem assessoria na minha cabeça é quase inexistente, tirando os fenômenos. Achei que o catarse era a melhor maneira de poder lançar ele da forma mais digna possível. De certa forma não estou pedindo esmola e sim um adiantamento pelo meu trabalho e ainda por cima gera uma bela de uma divulgação.

Estou louco para tocar essas músicas ao vivo, tenho certeza que vão soar muito bem.

TB: Sobre o disco, o nome é bem sugestivo. Tem alguma história sobre esse título? Já tem alguma previsão de lançamento?

G: O título vem do nome de uma das faixas, da qual a letra assino junto com o Eduardo Praça. É uma história fictícia de um casal que se encontra em meio a multidão. A imagem é bem sugestiva na minha cabeça. Consigo visualizar. Algo como um relacionamento mal resolvido onde os dois não conseguem transparecer que muitas marcas ficaram pelo caminho.

TB: Como tu tem se dividido entre a banda e o projeto solo? Tem mais algum projeto vindo por aí?

G: A banda não está fazendo show e eu pretendo priorizar muito o disco assim que for lançado. Quero defender as minhas músicas. Nunca tinha tido essa experiência e é magnífica. Uma sensação de exposição e ao mesmo tempo de satisfação e orgulho. Não pretendo ter outros projetos, mas nunca se sabe. Acho que para a coisa dar certo tem que ter dedicação. Agora estou vendo o tamanho das responsabilidades que eu vou ter pela frente. Estou gostando!

O contato com o músico pode ser feito através das redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Para conhecer o projeto no Catarse, colaborar e ver as recompensas de cada valor, é só clicar aqui!

Anúncios
Comentários
  1. […] 4. “Quando calou-se a multidão”: o disco solo de Guri Assis Brasil […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s