Posts Tagged ‘Frederico Westphalen’

Natalia Nissen@_natalices

cartolas

O nome da música não é “a graça da saudade”, isso é o que eu senti quando ouvi e fiquei lembrando de Frederico Westphalen. Uma tia me perguntou se eu tenho saudades de lá e eu disse que sim, mas não a saudade de pensar a todo instante em voltar a viver lá. É a saudade das coisas boas que eu vivi.

Eu gosto de Cartolas e isso não é segredo. Se jogar o nome da banda na busca do blog já vai dar pra notar. As músicas sempre me surpreendem. Eu acho graça da música, do bom humor que ela tem. Por mais que a situação possa ser deprimente, tem graça.

Se doer, Tylenol. Pra secar a lágrima tem o sol.
E que atire a primeira pedra quem não ri com “curiosidade me faz queimar o dedo. Eita cidade mais ruim que não tem nada. Que todo mundo pegou alguém que alguém pegou”.

Sdds faculdade. Sdds voltar pra casa do pub a pé, com sapato na mão, e com a cara da derrota. Porque se tem dinheiro pra ir à festa ou pra pagar o taxi, jamais para os dois.

E de quebra, dá pra fazer o download do último CD da Cartolas “Apavorando o Flashdance”. Mas fica a dica, tem que atualizar o “News” do site, porque de New tem nada.

Que vídeo mais simples, mais bonito e irônico.

Natalia Nissen@_natalices

Promessa dada, é promessa cumprida. E assim como a internet facilitou o contato entre Nenhum de Nós e fãs, facilitou da imprensa com os artistas. O Carlos Stein, um dos guitarristas da banda, respondeu a algumas perguntas do The Backstage Blog por e-mail. A banda já tem 27 anos de estrada, mais de um milhão de discos vendidos e turnês Brasil afora. E no dia 2 de maio, no Parque de Exposições de Frederico Westphalen, a NDN vai tocar seus principais sucessos e canções do último disco de inéditas.

The Backstage – São quase três décadas de Nenhum de Nós. Que momento foi mais marcante na carreira, até agora?

Carlos Stein - Foram, como era de se esperar, muitos momentos marcantes nesses anos todos. A primeira música a tocar no rádio (People Are), o absurdo sucesso de Camila, que revolucionou não só a história da banda, como a nossa vida. Logo depois o sucesso de Astronauta, que nos levou ainda mais longe. Logo depois tocamos no Rock in Rio II. Teve também o prêmio da MTV do melhor clipe nacional de 93. O nosso primeiro acústico nos mostrou um novo caminho. Nosso primeiro Planeta Atlântida foi inesquecível. Foram muitos os momentos marcantes que fizeram do Nenhum o que ele é hoje.

TB – Como é a relação das bandas com os fãs? Muita coisa mudou desde os primeiros passos da Nenhum de Nós, e agora com a internet é possível ficar mais próximo do público?

Stein - É mais fácil de manter contato, sim. O Nenhum sempre procurou ficar próximo aos fãs. Eles são uma referência para nós. Temos até algumas canções que contam histórias desse relacionamento. A internet tornou toda a nossa comunicação mais fácil e ágil.

TB – E como foi a recepção do público com o novo DVD Contos Acústicos de Água e Fogo?

Stein - As pessoas ficaram surpresas com o formato, mas todo mundo falou que a ideia de fazer um não-show foi muito boa. Além disso, é um trabalho de muita qualidade.

TB – No último disco de inéditas há participações de Duca Leindecker e Leoni. Como acontecem essas parcerias?

Stein - São amizades que fazemos durante nossas jornadas. Gostamos muito desse intercâmbio. É uma grande forma de aprender.

TB – Vocês estão produzindo alguma novidade ou apenas fazendo shows e divulgando o DVD?

Stein - Temos planos de lançar algo ainda esse ano.

TB – O que o público frederiquense deve esperar do show da NDN?

Stein - Uma grande festa. Estamos lançando o DVD, mas no show podem esperar ouvir as músicas que fizeram o Nenhum ser conhecido. Os sucessos estarão lá.

Natalia Nissen@_natalices

Minhas preces foram ouvidas! Sim, sim. Em julho de 2013, a banda Nenhum de Nós lançou o “Contos Acústicos de Água e Fogo” e escrevi aqui no blog que eles precisavam vir para Frederico Westphalen mostrar o novo trabalho. Pois bem, está no site! Dia 2 de maio NDN no Parque de Exposições. A data integra a programação da Expofred 2014 e, por enquanto, é o único show da feira (embora a organização não confirme).

Em breve, confira entrevista aqui no blog!

Foto: divulgação

Foto: divulgação

Natalia Nissen@_natalices

Uma das opções de cultura em Frederico Westphalen é a unidade do Sesc que oferece uma programação bem variada. Na sexta-feira, 16, por exemplo, a Monica Tomasi (que gravou essa música linda com a Cidadão Quem) vai apresentar o show “Intermitente” no Cine Floresta (junto à Catedral Santo Antônio). Mas, o mais interessante na programação para o mês de agosto, é a palestra do dia 30 com o tema “A importância do ensino de música na Escola”, por Camila Postiglione Wetternick.

O debate sobre o tema é super interessante, afinal, já foi comprovado que a educação musical melhora o rendimento de crianças e jovens na escola. O ensino da música também se tornou obrigatório no Brasil através da Lei Federal 11.769/08, porém, como ainda não foi regulamentada existe um processo bem complicado para aplicação da norma. E um dos problemas enfrentados pelas escolas (tanto públicas quanto privadas) é a falta de professores devidamente qualificados para lidar com o conteúdo e os alunos.

No ano passado essa foi a pauta da minha grande reportagem em uma das disciplinas da faculdade. Para esclarecer o assunto, procurei um colega que estuda Música na Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs) e é professor, o Lucas Welp. Lembro que ele comentou que mesmo com a formação acadêmica, cada professor tem um método de ensinar e até isso pode dificultar o ensino musical como conteúdo obrigatório.  Até mesmo o excesso de metodologia acaba tirando o prazer dos alunos – e do professor, em sala de aula. Definir um método de ensino para aplicação da Lei é algo complicado e que ainda vai demorar para se transformar em prática.

A parte boa, é que muitas escolas já começaram com as aulas de música na grade curricular obrigatória. Lá em Teutônia (digo lá porque vivi isso) isso é realidade desde 1998 em escolas particulares. E não demorou muito para a administração pública investir nisso. Até então, só havia música como aula extracurricular. Mas a diferença que isso faz na formação das pessoas é fora de série.

Vale o debate, vale o evento e uma dose de cultura. Para quem se interessa por educação musical é uma oportunidade imperdível. A entrada é gratuita e a palestra começa às 19 horas no auditório do Sesc/FW. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (55) 3744-7686.

Carol Govari Nunes@carolgnunes

 “Na Mira 2013” é um evento promovido pela Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo de Frederico Westphalen, que acontecerá no dia 30 de agosto no Les Paul Rock Pub em Frederico Westphalen. A ideia do evento é fomentar, além de incentivar, a musicalidade existente no município e na região.

1082577_1403588839854166_798636810_o

Flyer do evento (Divulgação)

Para o secretário da Indústria de Frederico Westphalen, Sidnei Barbieri, “o evento vai escolher apenas uma banda, mas esta será uma forma de valorizarmos bandas locais e das regiões vizinhas, além de trazer visitantes para prestigiar a cidade e o comércio e conhecer melhor as potencialidades que o município oferece”. A comissão organizadora do evento selecionará seis bandas para o evento “Na Mira 2013”. Entre a premiação, a banda escolhida também será contemplada com um show no dia 19 de Outubro, durante a 9ª edição do festival conhecido como “Na Mira do Rock”, na Ecco Eventos, ao lado das seguintes bandas:

MotoRocker – Curitiba / PR
Cartel da Cevada – Porto Alegre / RS
Encéfalo – Fortaleza / CE
Bravery Branded – Torres / RS
Save our Souls – Porto Alegre / RS

Ingresso para o evento será a entrega de 1kg de alimento não perecível

De acordo com a Assessoria de Imprensa da Prefeitura, foi pensando no público jovem que a organização do evento decidiu cobrar como entrada para o evento a doação de 1kg de alimento não perecível que será destinado ao PROMENOR.

Ainda segundo o secretário da Indústria de Frederico Westphalen, esta ação visa “impulsionar a participação dos estudantes das 4 universidades presentes no município e a solução encontrada foi a de baratear a entrada com a doação de um alimento”.

As bandas que desejam participar do evento devem se inscrever até o dia 10 de agosto enviando o release da banda e vídeos ou áudios de 2 músicas cover e 1 autoral para o e-mail: imprensaprefeiturafw@gmail.com

Para outras informações:

Sidnei Barbieri – Secretário da Indústria, Comércio e Turismo de Frederico Westphalen
Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Frederico Westphalen
FanPage no Facebook

Carol Govari Nunes@carolgnunes

Antes tarde do que mais tarde: a festa de um ano do Les Paul Rock Pub foi dia 9, mas só hoje eu consegui passar as fotos/vídeos para o computador e sentar para escrever alguma coisa.

Quem tocou na festa foi DaniElvis, cover de Elvis Presley desde 2007. Quem acompanha o intérprete que estudou canto popular e erudito por quatro anos é a Banda Presley, formada por Éderson Guedes, Charles Machado, Thiago Viegas e Pedro Keller.

Daniel Keller contou que começou a gostar de Elvis Presley com 16 anos e que foi tudo por acaso: sua semelhança física e timbre de voz quase idêntico o levaram a interpretar o Rei do Rock. Seu repertório tem os maiores clássicos de Elvis, incluindo músicas do início até o fim da carreira do cantor e ator norte-americano.

No vídeo abaixo, você confere a incrível semelhança entre DaniElvis e o eterno Rei do Rock:

Outras imagens do show você vê na Fanpage do The Backstage Blog

Natalia Nissen@_natiiiii

Hoje a noite acontecerá o tão esperado tributo a Ramones no Les Paul Rock Pub, em Frederico Westphalen, mas não é uma festa convencional. Nos vocais: Duda Calvin, o frontman da Tequila Baby, banda que já gravou disco com participação do próprio Marky Ramone. Na guitarra: Guilherme Busatto, vocalista e guitarrista da Datavenia. No baixo e na bateria: Maurício Donin e Gustavo Minuzzi, integrantes da Antonieta.

A banda teve pouco mais de uma semana para ensaiar as 24 músicas do repertório (Foto: Natalia Nissen)

A banda teve pouco mais de uma semana para ensaiar as 24 músicas do repertório (Foto: Natalia Nissen)

O show faz parte de uma série de tributos programados para acontecer no Les Paul Rock Pub: Nirvana, Pearl Jam, Legião Urbana, entre outros. Como os próprios membros da formação especial para o tributo definem, Ramones é uma banda que faz parte da formação musical de grande parte das pessoas que hoje fazem música em Frederico Westphalen e o Duda Calvin também representa um pouco disso.

- Há um tempo atrás existia uma trinca sagrada aqui em Frederico: Tequila Baby, Ramones e Nirvana. Tributo a Nirvana nós já fizemos, Tequila Baby fez show aqui e só faltava o tributo a Ramones. Pra quem gosta de Ramones, o Duda tem uma voz conhecida, então ficou perfeito. O Duda disse que nunca fez esse tipo de show com uma banda que não conhece, mas topou pela parceria, por já me conhecer e porque é pro Les Paul e tal. Ele disse “então vamos ver qual é que é”, explica Minuzzi.

Tocar com o líder da Tequila Baby é um desafio e uma realização pessoal e musical para os músicos daqui. Maurício lembra que Tequila Baby fazia parte do set list básico de quem queria tocar rock há uns anos. Mais nostálgico, Guilherme lembra do primeiro show ao qual assistiu. “No primeiro Rock Show que teve aqui em Frederico Westphalen eu devia ter uns nove ou dez anos idade. Acabei indo meio por acidente porque meu tio tinha um bar e ia trabalhar lá. Não sei se foi o primeiro show da Tequila Baby aqui, mas foi um dos primeiros e eu já tava lá curtindo. Aprendi a tocar guitarra por causa da Tequila, dá pra dizer que nossa primeira banda era pra tocar Tequila Baby, Ramones e Nirvana”.

A ideia foi do Minuzzi, com apoio do proprietário do pub, Crystian Graffitti. O objetivo era trazer o Duda Calvin para cantar. “O Duda tem uma banda, a Todos Somos Ramones, que faz tributo, mas falei pra ele que não tinha grana pra pagar toda a banda e ia montar uma pra tocar com ele, com pessoas de confiança” conta Minuzzi. E parece que deu certo. Assim que as férias da Tequila Baby foram confirmadas, o tributo a Ramones começou a tomar forma para acontecer em Frederico Westphalen.  A única exigência foi um vídeo para ver se a banda dava conta do recado.

O repertório teve sugestões dos músicos frederiquenses, mas a cartada final foi do Duda Calvin. 24 músicas entre clássicos e não tão conhecidas assim, e alguns bônus que a maioria de quem gosta de rock and roll já ouviu. O trabalho foi intenso, afinal, ensaiar todas as canções em pouco mais de uma semana e deixá-las afiadas para agradar ao líder e ao público não é tarefa simples. Algumas sempre estiveram na ponta da língua, outras são mais difíceis e exigiram um pouco mais de empenho dos guris. Somente o último ensaio, o de hoje, tem a presença do Duda Calvin.

Músicos frederiquenses formam a banda de tributo a Ramones ao lado de Duda Calvin (Foto: Natalia Nissen)

Músicos frederiquenses formam a banda de tributo a Ramones ao lado de Duda Calvin (Foto: Natalia Nissen)

E o resultado poderá ser conferido hoje à noite e é o público quem decide se a ideia foi boa ou um tiro no pé. O que não deixa dúvidas é que mesmo audaciosa, a iniciativa é válida e faz parte da índole dos roqueiros da cidade: gente que não tem medo de tentar o novo.

Os ingressos antecipados custam R$ 15 na Aba Store, Lugosi Rock Bazar, Posto Maranello e Sorveteria Skina. Na hora R$ 20.